O processo de surgimento municipal iniciou em 1972, com a abertura do Ramal Sul da BR – 163, mas guarda relação direta com a ocupação regional iniciada na década 1970, durante o Plano de Integração Nacional (PIN) do governo militar, e o seu lema de "Integrar para não Entregar!" 

A rodovia com quase 3.600 km de extensão liga as cidades de Tenente Portela, no Rio Grande do Sul, a Santarém, no Pará. Até hoje, mesmo como corredor de escoamento da produção de soja do centro-norte do Mato Grosso para Santarém, com o asfaltamento inacabado, ainda gera conflitos socioambientais e fundiários com as populações tradicionais, revelando a ausência Estado brasileiro.

Com famílias de colonos assentadas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), no começo da década de 80, passam a destacar na economia local lavouras consorciadas com o plantio de banana, milho, arroz, mandioca, feijão e cacau, além do incentivo à pecuária. Neste cenário, a cidade de Trairão experimentou uma expansão comercial, principalmente de produtos agrícolas, instalação de serrarias e de prestação de serviços, entre outros. Embora tenha tido uma alta do preço no mercado, a partir de 1990 o plantio de cacau foi afetado pela praga denominada “vassoura de bruxa”, impondo perdas na região. Ocorreu também a exploração de ouro, assim como ampliou a violência local.

Atualmente, a economia local perpassa pela pecuária, lavoura permanente, aquicultura, setor de serviço e as culturas temporárias, além da venda de maquinários e os empregos do setor público.  Do ponto de vista cultural, a cidade é marcada por vários festivais envolvendo as riquezas gastronômicas dos rios locais, assim como o trabalho da agricultura familiar, além do festival de rally de motos por áreas de asfalto e de terra, que agita a economia regional.

A história do nome da cidade, contada pela oralidade popular, revela que “para formar a vila vieram 18 homens que roçaram área para abertura da estrada e havia um acampamento próximo Rio Itapacurá. Eles vinham até o Rio Amadeus pescar traíra, peixe de água doce. Certa vez, pegaram uma de 40 kg e começaram a ser referir ao rio como trairão e, em seguida, o nome da comunidade e depois do município”.

Pelos dados do IBGE/2010, a taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade alcança 94,3 % dos estudantes. Em 2018, as matrículas no ensino fundamental alcançavam 2.726 discentes e 626 alunos no ensino médio. A cidade possuía, em 2018, 19 escolas de ensino fundamental e dois estabelecimentos de ensino médio. Já em relação à saúde, a taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 45.25 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 3.2 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os municípios do estado, fica nas posições 1 de 144 e 78 de 144, respectivamente, revelando a necessidade de mais investimentos.

Em relação aos dados de trabalho e rendimento, em 2028, segundo o Instituto, o salário médio mensal era de dois salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 5.6%. Na comparação com os outros municípios do estado, ocupava as posições 56 de 144 e 97 de 144, respectivamente.  Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 45.4% da população nessas condições, o que o colocava na posição 113 de 144 dentre as cidades do Estado e na posição 2099 de 5570 dentre as cidades do Brasil.

Os dados do IBGE relacionados ao território e ao meio ambiente revelam que 1.4% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 11.5% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 0.1% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio).

A Lei 354/2018 dispõe sobre a regularização fundiária urbana em Trairão. Já o Decreto 027/2018 cria e nomeia os membros da comissão com a atribuição de coordenar as atividades de revisão do plano diretor participativo do município cidade, embora documento não tenha sido encontrado no website municipal. A comunicação na cidade é influenciada pelos meios tradicionais das mídias digitais, websites, blogs, televisões, rádios comerciais, rádios comunitárias e iniciativas populares, tais como carro som e bicicleta som, entre outros.  A prefeitura está localizada na Avenida Fernando Guilhon, s/n, Bela Vista. Os contatos podem ser feitos pelo e-mail: município.trairao@gmail.com

©2020 por Projeto Rede Amazônia.