Videoconferência promove integração de pesquisadores do Programa Rede Amazônia



A Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF-UFPA) e o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) realizam amanhã, 17 de julho, às 15 horas, pelo horário de Brasília, a primeira  videoconferência  para apresentar o  Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia – Rede Amazônia, reunindo onze pesquisadores de nove universidades públicas dos Estados da Amazônia Legal, que vão interagir em um trabalho de ensino, pesquisa e extensão com gestores públicos de 52 prefeituras municipais e comunidades da Região Norte. O objetivo da Rede Amazônia é formar agentes multiplicadores de regularização fundiária e prevenção de conflitos socioambientais urbanos na região amazônica.

Segundo Myrian Cardoso, coordenadora do Programa, a realização da videoconferência representa mais um passo na articulação já vitoriosa desta experiência desafiadora que é montar uma equipe, construir e sistematizar conhecimentos interdisciplinares envolvendo pesquisadores e profissionais de nove universidades, entre engenheiros, arquitetos, administradores, assistentes sociais, advogados, geógrafos, jornalistas, especialistas em tecnologia da informação, gestores públicos e comunidades visando à prevenção de conflitos socioambientais urbanos dentro da pluralidade da realidade das cidades  amazônicas.

A CRF-UFPA completou 14 anos de existência em junho passado e iniciou sua experiência de regularização fundiária nas próprias terras da universidade em Belém, desenvolvendo metodologia e soluções tecnológicas para o ordenamento urbano municipal.  Com o tempo, seu raio de ação se ampliou muito, envolvendo vários municípios do Estado do Pará e até a cidade de Serra do Navio, no Amapá, além do intercâmbio com outras universidades brasileiras das regiões do Nordeste e Sudeste do Brasil.

Agora, a Comissão pactou com o Ministério do Desenvolvimento Regional que o Programa Rede Amazônia será desenvolvido em 78 glebas nestas 52 cidades amazônicas envolvendo 13.749 hectares, 152.852 moradias, onde reside uma população de 530.231 pessoas. Deste total de municípios, conforme a coordenadora, foram pré-selecionadas 17 áreas que estão enquadradas em três polos de capacitação.

A videoconferência será um momento de apresentação dos pesquisadores regionais, para as primeiras trocas de informações estruturantes, no nível macro, relativas ao Programa Rede Amazônia, assim como de discussão dos processos e procedimentos para encaminhar as atividades de regularização fundiária e prevenção de conflitos socioambientais frente às realidades locais e os desafios colocados pela crise sanitária da Covid-19, informa Myrian.

O Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia – Rede Amazônia foi lançado em 10 de dezembro de 2019 no Auditório Setorial Básico I, no Campus do Guamá, em Belém, no Estado do Pará, durante o III Encontro de Regularização Fundiária da Região Norte, e tem investimento público de R$ 2,8 milhões a ser aplicado em uma rede de ensino, pesquisa e extensão nos três polos até 2021. Já aderiram à Rede Amazônia a Companhia de Habitação do Pará (Cohab) e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica do Estado do Pará (Sectet).


Texto: Kid Reis – Ascom CRF/UFPA Arte: Arquivo da CRF/UFPA




Publicado em https://portal.ufpa.br/index.php/ultimas-noticias2/11746-videoconferencia-promove-integracao-de-pesquisadores-do-programa-rede-amazonia - Acesso: 15/07/2020

18 visualizações

©2020 por Projeto Rede Amazônia.