Rede Amazônia será debatida com o Governo do Estado de Roraima


O Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia (Rede Amazônia) será debatido no próximo dia 21 outubro, quarta-feira, com instituições públicas do Governo do Estado de Roraima. A decisão foi consolidada nesta terça-feira, 13 de outubro, em reunião com a secretária do Trabalho e Bem-Estar Social do Estado de Roraima, Tânia Soares (à direita na foto acima). A construção deste novo passo teve a participação das pesquisadoras e professoras Cláudia Campos Nascimento e Joani Capiberibe de Lyra, da Universidade Federal do Roraima (UFRR) e integrantes da coordenação do Grupo de Trabalho Estadual da Rede Amazônia no Estado de Roraima (GTE-RR).

Para Cláudia Campos Nascimento, pesquisadora e professora da UFRR, o programa é uma rede de ensino, pesquisa e extensão que trabalhará até 2021 com a inovação, capacitação e assistência técnica em regularização fundiária urbana, prevenção de conflitos de natureza socioambiental, habitacional e sanitária nos nove estados que compõem a Amazônia Legal. “Todos os nove estados amazônicos já consolidaram os seus grupos de trabalhos e estão implementando os desafios e construindo a Rede Amazônia em suas regiões”, assinalou.

O trabalho da Rede Amazônia será desenvolvido em 78 glebas existentes em 52 cidades amazônicas, que possuem 13.749 hectares, onde residem 530.231 mil pessoas em mais de 152.852 mil moradias. Inicialmente foram pré-selecionadas 17 áreas, a serem definidas pelas coordenações estaduais que estão instaladas nos nove estados amazônicos. “A meta é cadastrar 17 mil imóveis e formatar 17 plantas de parcelamento do solo aprovadas e protocoladas em cartório para fins de registros cartoriais e superação de conflitos socioambientais nos territórios, entre outras metas”, asseverou.


Texto: Kid Reis - Ascom-CRF-UFPA - Foto: Charles Bruno da Silva - Ascom-Setrabes

8 visualizações

©2020 por Projeto Rede Amazônia.