Rede Amazônia, GTM e Prefeitura avançam regularização em Cachoeira do Piriá, no Estado do Pará


As equipes interdisciplinares do Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia (Rede Amazônia), realizaram entre os dias 13 e 15 de dezembro, em conjunto com os membros do Grupo Estadual da Rede Amazônia no estado do Pará (GTE-PA) e de integrantes da Equipe de Residência Multidisciplinar em Regularização Fundiária, a validação da cartografia de Cachoeira do Piriá e deram continuidade aos trabalhos da regularização fundiária e superação de conflitos socioambientais no município paraense.

No dia 13 de dezembro, dia em que se comemorou o Círio de Nazaré da cidade, as equipes da Rede Amazônia visitaram as glebas Cidapar parte I e parte III para realizar a conferência das informações feitas pelos drones que permitiram a construção da cartografia territorial. Esta conferência de informações é denominada de reambulação, ou seja, onde se pode revisar e corrigir e atualizar dados de uma planta cartográfica de um determinado território e da sua topografia.

Para o professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Pará (FAU-UFPA), José Júlio Lima, as glebas cobrem totalmente a sede municipal, tendo uma população beneficiada de 5.611 pessoas. Na área I são 2.807 pessoas residentes em 561 domicílios. Na área III, são 4.050 pessoas residentes em 810 domicílios, assinalou. O município está localizado a aproximadamente 260 quilômetros da capital paraense.

No dia 14 de dezembro, as equipes se dividiram em duas frentes para realização de trabalho de campo. Na gleba Cidapar I, foram feitas correções cartográfias, enquanto na Cidapar III, foi realizado voo de drone para captura de imagens para produção da cartografia desta localidade.

À tarde foi realizada uma reunião com os membros do Grupo de Trabalho Municipal (GTM) e um debate sobre os trabalhos de campo. À noite, houve uma troca de conhecimentos com o prefeito de Cachoeira, Raimundo Machado, conhecido como Mundô, além de outros gestores municipais.

No dia 15 de dezembro, as equipes retornaram para Belém para sistematizar as informações coletadas no município. Os novos dados serão trabalhados na sede da Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF-UFPA), que resultarão em mais um passo na formulação do projeto de regularização fundiária e superação dos conflitos socioambientais do território.


Texto: Kid Reis e Gabriel Mansur – Fotos: Equipe GTE-Pará.


5 visualizações0 comentário