Grupos de trabalho definem agendas dos fóruns estaduais amazônicos


Com o término do 1º Web-Fórum Rede Amazônia, organizado pelas pesquisadoras Danielle Guimarães e Cristina Baddini, do Grupo de Trabalho Estadual do Amapá (GTE-AP), e realizado dias 28 e 29 de janeiro, as coordenações estaduais dos demais Grupos de Trabalho do Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia (Rede Amazônia) avançam na organização, planejamento e definição das agendas de realizações dos novos fóruns regionais para debater a regularização fundiária e a prevenção de conflitos de naturezas socioambiental, habitacional e sanitária na Amazônia Legal.

No Estado do Pará, conforme Elaine Angelim, coordenadora do GTE-PA, a realização do fórum está programada para os dias 23 e 24 de fevereiro. Em Roraima, a data definida foi 25 e 26 de fevereiro. No Amazonas, o fórum ocorrerá nos dias 18 e 19 de março e no Maranhão nos dias 26 e 27 de março. Tocantins, Rondônia, Mato Grosso e Acre ainda não definiram as suas datas.

Além disso, a formação dos seis núcleos de estudos temáticos já mobiliza 20 pesquisadores da Amazônia Legal. Os núcleos estão estruturados com os seguintes temas: análise institucional e monitoramento de políticas públicas, jurídico-registral, urbanístico-ambiental, comunicação e participação social, cartografia e geoprocessamento e tecnologia.

O Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia (Rede Amazônia) é uma parceria da Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF-UFPA) com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e atua, em rede interfederativa, em nove estados da Amazônia Legal, 52 municípios, 78 glebas, 152.852 domicílios envolvendo mais de 530 mil famílias, que estão localizadas em mais de 13 mil hectares na região amazônica.


Texto: Kid Reis – Ascom-CRF-UFPA

Fotos- Arquivo CRF-UFPA e Arquivo pessoal da pesquisadora.

9 visualizações0 comentário