Experiência da Rede Amazônia é debatida durante a Semana da Habitação do CAU-BR


Na semana que marca o Dia da Habitação, 21 de agosto, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU-B) joga luz sobre o tema do acesso à moradia. Entre 17 e 19 de agosto, arquitetos e urbanistas participam da Semana da Habitação 2021, evento promovido pelas Comissões de Política Profissional (CPP-CAU/BR) e de Política Urbana e Ambiental (CPUA CAU/BR) e colocam na mesa de debates o acesso à moradia e buscam estruturar um plano de ação capaz de ampliar o acesso a este direito social previsto na Constituição brasileira a partir do olhar técnico e político dos arquitetos.

Durante a abertura da Semana, a presidente Nadia Somekh afirmou que “em sua gestão se trabalha com um triplo A: afeto, acolhimento e ação” acrescentando que “os convidados vão nos ajudar a criar diretrizes para construir um roteiro de ações concretas que possam efetivamente melhorar a vida da população brasileira”, disse a presidente, saudando os participantes e o público que acompanha a transmissão ao vivo pelos canais do CAU Brasil no Youtube e no Facebook.

Nesta quarta-feira, 18, a partir das 16h, o público conheceu Experiências Regionais em Habitação de Interesse Social no Brasil, onde arquitetos/as e urbanistas e convidados compartilharam os seus projetos com Assistência Técnica de Habitação de Interesse Social (ATHIS) em cada região do país. Pela Região Norte, a arquiteta e urbanista Myrian Cardoso, da Universidade Federal do Pará (UFPA) e coordenadora do Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia (Rede Amazônia), abordou a experiência desenvolvida nos nove estados da Amazônia Legal.

Myrian Cardoso informou que o trabalho da Rede é desenvolvido em 78 glebas existentes em 52 cidades amazônicas, que possuem 13.749 hectares, onde residem 530.231 mil pessoas em mais de 152.852 mil moradias. Das 52 cidades, inicialmente foram pré-selecionadas 17 áreas na Amazônia Legal, que estão sendo trabalhados por nove grupos de trabalhos estruturados dentro de 12 universidades públicas federais e estaduais, além das interações com as prefeituras municipais, cartórios, Ministério Público, Defensoria Pública, entre outros parceiros amazônicos. “A nossa meta é cadastrar 17 mil imóveis e formatar 17 plantas de parcelamento do solo aprovadas e protocoladas em cartório, para fins de registros cartoriais e superação dos conflitos socioambientais amazônicos nos nove territórios amazônicos”, sinalizou.

Neste sentido, segundo a arquiteta, compartilhar estes conhecimentos com os membros da academia, gestores públicos municipais, servidores, técnicos e membros das comunidades e demais participantes do Dia da Habitação, é fortalecer uma rede de instituições de ensino superior e de gestão pública dedicada ao fomento e difusão de experiências e expertises em políticas públicas, alternativas e gratuitas, de assistências técnica e tecnológica aplicadas à regularização fundiária urbana, articulada com medidas de prevenção de conflitos de naturezas socioambiental, habitacional e sanitária na Amazônia Legal.

Os arquitetos e urbanistas Fernando Antonio Santos de Souza, da Universidade Federal do Sergipe (UFSE), e Flávia Tauane Santos de Santana, do Projeto Saúde e Moradia, de Sergipe, representaram a Região Nordeste. O exemplo de ATHIS da Região Sul foi o Projeto da Comunidade Quilombola Toca Santa Cruz (SC), com relato do arquiteto e professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Samuel Steiner dos Santos, e da coordenadora estadual do Movimento Negro Unificado, Maria de Lourdes Mina. O arquiteto e urbanista Gustavo Franco foi o convidado para representar a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (CODHAB-DF), case que representou a Região Centro-Oeste. Os arquitetos e urbanistas Pablo Benetti, Presidente do CAU/RJ, e Marcela Abla, Subsecretária de Habitação da Secretaria Municipal de Habitação do Rio de Janeiro (RJ), falaram sobre a ATHIS na Região Sudeste. O evento prossegue até amanhã, 19 de agosto.


Texto: Kid Reis, com suporte de dados Ascom CAU-BR.


4 visualizações0 comentário