Conheça a coordenação do Grupo de Trabalho Estadual da Rede Amazônia no Amapá

Atualizado: Jan 15


No Estado do Amapá, a coordenação do Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia (Rede Amazônia) é realizada pelas pesquisadoras da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Danielle Costa Guimarães e Cristina Maria Baddini, responsáveis pelo Grupo de Trabalho Estadual (GTE-AP).

Danielle Costa Guimarães tem formação em Arquitetura e Urbanismo e trabalha com as linhas de pesquisas voltadas para habitação social, desenvolvimento urbano, políticas públicas e Amazônia. Já Cristina Maria Baddini Lucas possui formação em Engenharia Civil e as suas linhas de pesquisas são direcionadas para sistemas de transportes, engenharia, comunicação, saneamento, mobilidade urbana e sociedade.

O Programa Rede Amazônia é uma parceria da Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF-UFPA) com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio da Secretaria Nacional de Habitação do governo federal. O Programa desenvolve ações de difusão, capacitação e assistência técnica e tecnológica em regularização fundiária, prevenção de conflitos e melhorias habitacionais e sanitárias na região amazônica e vai trabalhar estas atividades em 78 glebas existentes em 52 cidades amazônicas, que possuem 13.749 hectares, onde residem 530.231 mil pessoas em mais de 152.852 mil moradias. Inicialmente foram selecionados 17 municípios. As terras foram repassadas pelo Programa Terra Legal.

Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Estado do Amapá é composto por 16 cidades e o Programa está previsto para beneficiar os municípios de Ferreira Gomes, Cutias e Itaubal do Piririm. Inicialmente foi feita uma pré-seleção indicativa para realizar a regularização e a superação dos conflitos socioambientais em Ferreira Gomes. No entanto, a decisão não está consolidada.

No dia 28 de janeiro está programada a realização do fórum estadual para apresentar o Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia (Rede Amazônia) para estes gestores municipais e para a sociedade amapaense, quando serão debatidos os desdobramentos dos trabalhos no Estado do Amapá, uma vez que os novos prefeitos foram empossados.


Texto: Kid Reis – Ascom-CRF-UFPA



7 visualizações0 comentário