A força da fotografia na educação, no trabalho e na cidade foi debatida nos 14 anos da Fapespa


Renato Neves, professor, engenheiro e pesquisador do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará (ITEC-UFPA) e vice-coordenador do Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia (Rede Amazônia), uma parceria entre a Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF-UFPA) e o Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), participou hoje, 4 de agosto, quarta-feira, a partir das 15 horas, das comemorações dos 14 anos de existência da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), espaço público responsável pelo fomento de pesquisa em ciência, tecnologia e inovação dentro do Estado do Pará.

No evento, ele abordou a experiência acadêmica do uso da fotografia na reflexão sobre a ética e a responsabilidade social na formação do engenheiro civil e as suas repercussões sobre a eduçação, o mundo do trabalho e as cidades. Renato apresentou a fotografia como uma forma de linguagem que leva aos discentes e aos cidadãos informações importantes do ponto de vista histórico, social e econômico e sobre a estruturação do conhecimento e das relações pessoais, no mundo do trabalho e nas cidades. “A fotografia é um forte recurso didático para se trabalhar diferentes conteúdos curriculares em instituições e fundações e em outros locais de relacionamento humano na sociedade, num determinado bairro ou nas relações familiares”, enumerou.

O vice-coordenador da Rede Amazônia ressaltou, também, que a fotografia estimula o desenvolvimento do senso crítico dos discentes e contribui para interpretar uma realidade local, nacional e internacional, além de incentivafr o reconhecimento da questões sociais que os cercam e a dialogar com os múltiplos interesses dos alunos ou dos cidadãos por meio das redes sociais, tais como o Instagram e Facebook. “As mídias sociais quebraram a verticalização das informações e favoreceram a produção independente de conteúdos e conhecimentos, além promover uma leitura mais ampla, horizontal e crítica sobre as múltiplas realidades brasileiras”, asseverou.

A fotografia, segundo ele, fornece informações sobre os lugares, as pessoas e os eventos, como, por exemplo, os 14 anos da Fapespa. A foto é um instrumento de informações capaz de oferecer a aproximação com o lugar a ser analisado e, com isso, desenvolver sentimentos sobre as plurais realidades e despertar a percepção sobre um determinado contexto e a consciência dos próprios alunos.

Esta proposta de produção de conhecimentos, segundo Renato (foto à direita), foi consolidada na disciplina de Legislação e Ética do curso de Engenharia Civil da Universidade Federal do Pará, em conjunto com membros da CRF-UFPA, com foco à aprendizagem significativa e à reflexão das práticas em ação de acordo com os temas abordados frente às realidade locais e globais, sempre focando a formação dos alunos da engenharia civil.

O pesquisador enfatiza que a fotografia é um estímulo para a desconstrução/construção do conhecimento e fundamentou a troca de vivências entre os alunos e a comunidade, que foram estimulados a agir, refletir e questionar as suas práticas profissionais e pessoais em relação às cidades, às pessoas e às habitações e à sociedade em que vivem.

Em seguida, no evento comemorativo sobre os 14 anos da Fapespa, Mateus Delai, da Sales Executive Google, abordou o futuro das novas formas de relações e colaborações no mundo do trabalho. O debate foi mediado por Maria Trindade, da Startup Pará, e Fabrício de Paula, Ceo Órbita Tecnologia. As comemorações são transmitidas pelo Canal do Youtube da Fundação.


Texto: Kid Reis – Ascom CRF-UFPA

Fotos: Kid Reis e Renato das Neves

3 visualizações0 comentário