Em 2010, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade possuía 428.527 mil pessoas e, em 2019, estima-se que 529.544 mil pessoas vivam na região. A densidade demográfica é de 12,57 hab/km². A população urbana é de 390.733 mil pessoas e a população rural alcança 37.794 mil habitantes. Pelos dados do IBGE, em 2010, a estrutura etária da população é de 70,0%, envolvendo pessoas entre 15 e 64 anos. 

 

A taxa de escolarização (IBGE/2010) de 6 a 14 anos de idade e alcança 94,5% dos discentes. Em 2018, estavam matriculados no ensino fundamental 80.719 alunos e 16.956 estudantes no ensino médio. Em 2017, a mortalidade Infantil atingia 13,75 óbitos por mil nascidos vivos e as internações por diarreia (2016) alcançavam 0,6 por mil habitantes. Dados de 2019 revelam a existência de 99 estabelecimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) na região.

 

A renda percapita é de R$ 929,19 e 2,64% das pessoas são extremamente pobres e 7,95% de pobres. Em 2017, o salário médio mensal dos trabalhadores formais alcançava 3,3 salários mínimos. 34% da população, em 2010, tinha rendimento nominal mensal per capita de até ½ salário mínimo e a vulnerabilidade social atingia 21,78% dos habitantes.

 

Em 2010, conforme dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e a Fundação João Pinheiro (FJP), urbanisticamente, 92,87% da população em domicílios possuíam água encanada, 98,20% tinham acesso à enérgica elétrica e a coleta de lixo alcançava 95,67% dos moradores.

 

Já conforme dados da InfoSanBa (2010), uma ferramenta tecnológica colaborativa para estudos sobre a realidade do saneamento municipal no Brasil, o abastecimento de água pela Rede Geral alcança 41% dos moradores em Porto Velho, 54% utilizam poço ou nascente e 5% têm acesso a este bem público de outras maneiras. O serviço de limpeza responde por 93% da destinação do lixo, 3% são queimados e 4% são recolhidos em caçambas. 95% dos habitantes tem banheiro e 4% sanitário.  O esgotamento, por fossa séptica, atinge 35% dos moradores e a fossa rudimentar atende 48% das casas. A Rede geral de esgoto ou pluvial alcança 11% da população.

 

Em relação à legislação municipal, Porto Velho possui plano diretor e legislação de parcelamento do solo, cujo órgão responsável é a Secretaria Municipal de Regularização Fundiária, Habitação e Urbanismo (SEMUR). O município não tem lei municipal de regularização fundiária. A prefeitura está localizada na Avenida 7 de setembro, 237, esquina com Avenida Farquar, e os contatos podem ser feitos pelo esic@portovelho.ro.gov.br. Para mais informações, visite o website da prefeitura local clicando no ícone abaixo:

©2020 por Projeto Rede Amazônia.