Em 2010, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população alcançava 40.781 pessoas. Em 2019, estima-se que 48.296 habitantes residam na cidade, cuja densidade demográfica alcança 18,42 hab/km ².  A população urbana é de 28.979 e a rural soma 11.802 habitantes. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM) local é de 0,613 e quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano e a qualidade de vida.  5% da população tem acima de 65 anos ou mais. 59% estão entre 15 e 64 anos e 36% menos de 15 anos. 70,25% da população têm dependência da população economicamente ativa. A taxa de envelhecimento, que revela a relação existente entre o número de idosos e a população jovem, é de 4,83%.

 

Em 2018, o salário médio mensal era de 1.9 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 9.6%. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 44.1% da população nessas condições, o que o colocava na posição 58 de 62 dentre as cidades do Amazonas. Estão vulneráveis à pobreza 59,84% dos habitantes e 53,87% pessoas de 18 anos não tem o fundamental completo e atuam na informalidade.

 

A mortalidade infantil (2017) atingia 4,25 óbitos por mil nascidos vivos. Em 2016, 2,5% das internações por mil habitantes estavam relacionadas à diarreia. A estrutura do Sistema Único de Saúde (SUS) possui 13 estabelecimentos para atender os moradores, conforme dados de 2019. Já taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade alcança 93,4 %. Em 2018, estavam matriculados no ensino fundamental 11.406 alunos e, no ensino médio, 3.080 discentes. Em 2010, 3,9% da população acima de 25 anos ou mais tinham o ensino superior. A população economicamente ativa é de 62,8% dos moradores.

 

Em relação à análise urbanística, envolvendo habitação e saneamento básico, 79,95 % da população em domicílios possui água encanada e, 94,68%, energia elétrica. A rede geral abastece 88% das moradias e 2% utilizam poço ou nascente. 10% da população tem acesso à agua por outros meios. O serviço de limpeza responde por 59% do lixo, 34% são coletados em caçambas, 18 % são queimados e 4% são enterrados, entre outros.75% dos domicílios possuem banheiros, 21% tem sanitários e 4% não possuem nenhum dos dois. 16% do esgotamento sanitário e feito por fossa séptica, 16% fossa rudimentar e 64% em 9% em vala. Rede geral de esgoto ou pluvial alcança 3% dos moradores.

 

Em Iranduba o órgão responsável pelas questões fundiárias e a Secretaria Municipal de Habitação (SEMHRF). O município possui plano diretor, não foi encontrada a Lei Municipal de Regularização Fundiária e a cidade não tem legislação de parcelamento do solo, conforme pesquisas das equipes da Rede Amazônia. Prefeitura está localizada na Travessa Jaraqui, S/N, Centro, Praça dos Três Poderes. Os contatos podem ser feitos pelo e-mail prefeituradeiranduba@gmail.com. Clique no ícone abaixo para mais informações:

©2020 por Projeto Rede Amazônia.