Em Juscelino Kubitschek, o discurso hegemônico era 50 anos de progresso em cinco anos. Depois e durante o período militar, integrar para não entregar, na época de Castelo Branco, e depois no período de Emílio Garrastazu Médici, com a frase são terras sem homens, para homens sem terras.  O povoamento local iniciou com um desmatamento em 1958 para construção da estrada de ligação entre Belém e Brasília e os moradores se alojavam num lugarejo denominado "maloca", sendo que um dos pioneiros foi o Manoel Rocha e a sua família. O local, cortado por vários córregos de água cristalinas, recebeu o nome Ribeirãozinho.

 

O município foi criado pela Lei Nº 6.194, de 10 de novembro de 199, desmembrado do município de Imperatriz. Historicamente a economia evoluiu da exploração de diamantes, até o esgotamento, depois a agricultura com o plantio de arroz, milho e babaçu e, atualmente está centrada na agropecuária, indústria e serviços, entre outros segmentos econômicos.

 

Em 2010, de acordo IBGE, a população local era de 15.895 pessoas e saltou para 18.296 habitantes em 2019.  Na área urbana residiam 6.957 pessoas e na rural 8.938 habitantes.  O Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM) é de 0,629 e quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano local.  A densidade demográfica alcança 25,75 hab/km ². Em relação à faixa etária, 62% da população estão entre 15 e 64 anos. 6% estão acima de 65 anos ou mais. 32% dos habitantes estão na faixa de menos de 15 anos.  61,14% dos moradores dependem da população economicamente ativa.

 

Os dados sobre a mortalidade infantil do IBGE, 2017, revelam 3,68% óbitos por mil nascidos vivos.  Em 2016, 3,3% das internações por mil habitantes estavam relacionadas com a diarreia. Em 2009, a cidade possui seis estabelecimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) para atender à população. A taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade, conforme IBGE/2010, alcança 97,6% dos estudantes. 3.478 alunos possuem ensino fundamental, 856 estão no ensino fundamental e 2,2% da população têm ensino superior.

 

Em relação à renda percapita, segundo do Instituto, é de R$ 312,56 e 9,25% da população são de extremamente pobres e 28,48% são pobres. O salário médio mensal dos trabalhadores formais, em 2017, alcançava 1,7 salários mínimos. Conforme o IBGE, em 2010, 42,5% da população possuía um rendimento nominal mensal per capita de até ½ salário mínimo. 60,96% da população são vulneráveis à pobreza. Conceitualmente a vulnerabilidade social está relacionada à ausência de recursos financeiros, de moradia, educação e o acesso às oportunidades para o desenvolvimento do ser humano, além de incluir questões históricas, de raça, de gênero e de orientação sexual, entre outras. 50,38% das pessoas de 18 anos ou mais não tem o ensino fundamental completo e a ocupação é informal.

 

Do ponto de vista urbanístico, envolvendo a habitação e o saneamento, 93,83% da população em domicílios possuem água encanada, 96,65% energia elétrica e 91,90% têm coleta de lixo, conforme dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEIA) e Fundação João Pinheiro (FJP). Em relação ao abastecimento de água, conforme dados da InfoSanBa (2010), uma ferramenta tecnológica colaborativa para estudos sobre a realidade do saneamento municipal no Brasil, a Rede geral atende 99% da população e 1% utiliza outros meios de acesso à agua, que não são nascentes ou poços.

 

O serviço de limpeza responde por 92% da coleta do lixo, 5% são queimados e 3% utilizam outros tratamentos. 85% dos moradores têm banheiro e 13% sanitários. 3% não têm acesso a estas duas estruturas. No esgotamento sanitário, 73% dos moradores usam a fossa séptica e 17% a fossa rudimentar. A vala é utilizada por 4% da população. 2% têm acesso à rede geral de esgoto ou pluvial.

 

Em relação à legislação municipal, a cidade possui plano diretor e lei de parcelamento do uso do solo.  Não existe lei municipal de regularização fundiária. Nas pesquisas de dados feitas pelas equipes da Rede Amazônia, não foi localizado órgão responsável por esta gestão de dados.  A prefeitura está localizada na Rua Urbano Rocha, Centro, s/n. Para mais informações visite o website da prefeitura local clicando no ícone abaixo:

©2020 por Projeto Rede Amazônia.