O nome da cidade de Axixá do Tocantins está relacionado à existência a grande quantidade de árvores altas produtoras frutos avermelhados, oleaginosos, denominados axixá, que na linguagem indígena significa fruto semelhante a mão ou punho fechado. Vivem no estado a comunidades indígenas Xerente, Karajá, Javaé, Xambioá, Apinajé e os Krahô, conforme estudos da professora Lídia Barroso sobre “Os Povos Indígenas do Tocantins". A grafia do nome da árvore é Chichá, também conhecida como boia-unha-d'anta, pau-de-cortiça, pau-de-boia, arachichá, araxixá, axixá e bóia.

 

A Câmara Municipal de Itaguatins, através da Lei nº 01, de 9 de fevereiro de 1963, elevou o povoado de Axixá a Distrito, e pela Lei do Estado de Goiás, nº 4.682, de 14 de outubro de 1963, foi elevado à categoria de Município, desmembrando-se do território de Itaguatins. O novo município foi instalado em 1 de janeiro de 1964.  O Decreto Legislativo nº 1, janeiro de1989, publicado no Diário Oficial do Tocantins, altera o nome de Axixá do Goiás para Axixá do Tocantins.

 

Pelos dados do IBGE/2010, a população alcançava 9.275 pessoas e, em 2019, subiu para 9.756 habitantes. Na área urbana residem 7.621 moradores e na área rural 1.654 pessoas. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM) é de 0,627 e quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano local. O Índice é medido pelos indicadores de três dimensões do desenvolvimento humano: longevidade, educação e renda.  60% dos moradores estão entre 15 e 64 anos e 33% menos de 15 anos. Acima de 65 anos, são 7% dos moradores. 65,60 % da população tem dependência da população economicamente ativa.

 

A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 25.48 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 1.6 para cada 1.000 habitantes. Segundo o IBGE/2010, a taxa de escolarização alcança 99% dos moradores entre 6 a 14 anos de idade. Em 2018 estavam matriculados no ensino fundamental 2.240 alunos e 652 estudantes no ensino médio. 4,4% dos moradores têm ensino superior completo.  Em relação à saúde, a taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 25.48 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 1.6 para cada 1.000 habitantes. Conforme dados do Sistema Único de Saúde (SUS), em 2009, a cidade tem dois estabelecimentos de Saúde.

 

Em 2018, o salário médio mensal era de 2.2 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 7.7%. Na comparação com os outros municípios do estado, ocupava as posições 5 de 139 e 93 de 139, respectivamente. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 45.3% da população nessas condições, o que o colocava na posição 68 de 139 dentre as cidades do estado e na posição 2107 de 5570 dentre as cidades do Brasil, pelos dados do IBGE. A vulnerabilidade social alcançar 57,60% dos moradores e 53,58% das pessoas de 18 anos ou mais não têm o ensino fundamental completo e a ocupação é informal.

 

Em 2010, ao fazer uma análise urbanística local, conforme as informações Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEIA) e Fundação João Pinheiro (FJP), a realidade demonstrava que 97,96% da população em domicílios com água encanada, 96,37% possuíam energia elétrica e 81,23% da população em domicílios têm coleta de lixo. Os dados do IBGE, em 2010, por sua vez, apresentavam que 29.3% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 94.2% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 5.1% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada, ou seja, presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio.

 

Os dados sistematizados pelas equipes do Programa Rede Amazônia, mostram que cidade ainda não possui plano diretor, legislação de parcelamento e uso do solo e nem lei municipal sobre regularização fundiária.

 Atualmente sua economia é centralizada nos segmentos da agricultura, pecuária, piscultura, indústria e no comércio, além do turismo com a prática de ecoturismoesportes radicais, em especial na Serra do Estrondo, principal ponto turístico  local, onde pratica-se escalada e voo livre e também o enduro axixaense de veículos de motos, quadrículos e jipes 4x4. A prefeitura está localizada Praça Três Poderes, 335. Para mais informações clique no ícone abaixo para visitar o website da prefeitura local:

©2020 por Projeto Rede Amazônia.