Pelos dados do Censo IBGE /2010, Anapu possui uma área de 11. 950, 04 km² e um população total de 27.890 pessoas, sendo 13.337 moradores na área rural.   A densidade demográfica é 1,73 hab/km ². Sua economia tem forte relação com plantio permanente de banana, cacau, café, manga, abacaxi, mandioca, pimenta do reino, entre outras lavouras, além da pecuária e a forte extração de madeira, a produção de carvão vegetal e o comércio, entre outros. Anapu está localizada na microrregião de Altamira e Mesorregião do Sudoeste paraense e guarda uma relação forte com Marabá e Altamira, na Transamazônica. A área é marcada por grandes conflitos agrários e ficou mundialmente conhecida como a localidade do assassinato da irmã Dorothy Stang, em 2005, religiosa americana que fazia trabalho pastoral com as comunidades locais.  Além dos enfrentamentos e conflitos de ocupação de terras das populações indígenas.

Pela etmologia da palavra, Anapu, é um termo de origem geográfica, em referência ao Rio Anapu, ou também se origina do tupi 'anã', com o significado de forte, grosso e 'pu', ruído: ruído forte. Possivelmente é referência ao barulho produzido pelo volume d'água do caudaloso rio. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística /2010 revelam que 61% da população está entre 15 e 64 anos, 36% menos de 15 anos e 3% acima de 65 anos. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM) da cidade é de 0,552 (quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano local).

O IDHM brasileiro se baseia em três dimensões do IDH Global - longevidade, educação e renda, mas vai além e realiza uma adequação da metodologia global ao contexto brasileiro e à disponibilidade de indicadores nacionais. Pelos dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2010, a taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade atinge 94,2%. O ensino fundamental envolve 6.645 pessoas, o ensino médio 1.131 e o superior completo alcança 2,5% da população local.

Em relação à saúde, dados do IBGE/2017 revelam que a mortalidade infantil atingiu 22,22 óbitos por mil nascidos vivos. O IBGE revela que a localidade possui cinco estabelecimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) e, em 2016, 6,2 internações por mil habitantes tiveram como causa a diarreia.

A renda per capita conforme o Instituto é de R$ 266,28, sendo 26,31% da população extremamente pobres e 44,80% de pobres. O salário médio mensal do trabalhador formal, IBGE/2017, era de 1,8 salário mínimo. O percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até meio salário mínimo, em 2010/IBGE, atingia 51,4% da população. A vulnerabilidade social 66,96%, e pessoas de 18 anos ou mais sem fundamental completo e ocupação informal atingia 66,60%.

Do ponto de vista da análise urbanística, 84,69% da população têm água encanada em domicílio. 75,50% têm energia elétrica e o 74,44% do lixo é coletado. Já em relação ao saneamento básico, 80% das moradias são abastecidas por água de poço ou nascente. A rede geral de distribuição atinge 9% da população. A coleta do lixo alcança 75% pelo serviço de limpeza da cidade, 14% são queimados, 2% são jogados em terreno baldio e 7% são coletados em caçamba.  Na cidade 58% dos habitantes têm banheiro, 33% têm sanitários e 9% não possuem nem um dos dois. Em relação ao esgotamento sanitário, 2% usam a fossa séptica, 83% a fossa rudimentar e 3% utilizam a vala. 9% da população não tinha acesso a estas políticas públicas, conforme dados da InfoSanBa (2010), uma ferramenta tecnológica colaborativa para estudos sobre a realidade do saneamento municipal no Brasil.

A Lei Municipal Nº 0172/2010 rege o parcelamento do solo e a cidade possui Plano Diretor, desde 1999, mas as pesquisas das equipes da CRF-UFPA não localizaram o documento, assim como não foi encontrada Lei Municipal de Regularização Fundiária, embora exista desde 2010. A comunicação na região é influenciada pelos grandes conglomerados de mídia e a comunicação comunitária. A prefeitura está localizada na avenida Getúlio Vargas, 98, Centro. O telefone é (91) 99278-0793 e o contato pode ser feito pelo e-mail: prefeitura.municipal.anapu@gmail.com, ou acesse também a prefeitura local para saber mais, clicando diretamente no ícone abaixo:

©2020 por Projeto Rede Amazônia.